Me doeu o modo como você me beijou pela última vez,
o jeito triste que seus dedos brincaram em meus cabelos vermelhos
como um velho fogo que queimou e não arde mais.

Disseram-me que era preciso achar-se em outro alguém porque só assim o mundo ficaria correto, eu acredito mas não consigo.

Me doeu acordar e deparar-me com aquela pilha de livros que estão ali, somente esperando sua volta para casa, onde não vive mais.

Me doeu acreditar que era possível, mas não dói mais.