Não sou uma eterna romântica, nem nunca vou ser. Felizmente a espécie humana, não diferente de todas as outras, está sujeita a instintos tão vulgares quanto hostis. O romantismo se perde após a conquista.