sobre cavas em geral

Nunca me habituei a expressão 'cava'. E pior que isso: nunca soube dizer exatamente aonde é essa tal de cava. Mas percebi a duras penas que se você chega em algum lugar e fala: "Quero depilar a perereca", a reação não é das melhores. Ou é. E isso também não pode ser muito bom.
Depilação é uma coisa chata. Dolorosa e chata. O tipo de uma depilação que uma mulher usa, diz muito a respeito dela. Ou não também. Mulher adora inventar história.
De todos os estilos topamos por aí sempre com aqueles (batidos, já) moicanozinho, o bigodinho de Hitler (esse nome me faz rir), as maravilhosas mulheres artísticas que inventam de tudo na hora da depilação: flor, coração, letra do nome de qualquer fulano (tenham medo destas, esse tipo de atitude é muito estranho).
E quem nunca viu a bichinha toda lisinha? Tem mulher que tira tudo (sim, tudo), mas o problema não está aí, e sim na forma como esta é feita.Se você topar por aí com uma que usa somente a Gillette, fique tranquilo. Mas... Se for cera, ou pior, cera quente, alerto: quem já teve o (des)prazer de passar por qualquer tipo desta depilação sabe do que estou falando. Mulher que depila tudo gosta de apanhar, só pode. Porque quem enfrenta uma sessão de tortura depilação com cera quente em toda a danada vai achar um tapa (ou um soco) brincadeira de criança. Então encontramos nossa masoquista. Homens: ao verem uma assim, se preparem. Não deixe o ar infantil que toma conta do lugar vos enganar. Essa mulher aguenta QUALQUER coisa. E em oposição à toda lisa, temos a toda natural: apenas umas aparadinhas aqui e acolá para tirar o excesso, sem mexer muito em muita coisa. Mas da natural pra Selva Amazônica é um passo também, fiquem atentos. E são tantas cavas e pererecas que eu não sei como terminar. Talvez apenas dando um recadinho para os meus caros amigos: uma aparadinha de vez em quando é legal pra você também, ok? Mas por favor, não me aparecam com estrelinhas e corações.